Translate

O que procura?

Adwords 1

Últimas Notícias

terça-feira, 24 de maio de 2011

Julio Severo denuncia: "vergonha, governo deu quase dois milhões de reais para a ABLGT".



Um dos maiores ativistas pró-familia brasileiros, Julio Severo, que está refugiado do Brasil por conta de perseguição as suas opiniões geralmente contrárias ao Governo e movimento gay acaba de publicar em seu blog nota intitulada: “VERGONHA, GOVERNO DEU QUASE DOIS MILHÕES DE REAIS PARA ABLGT".

Tal conclusão não é novidade para todos os que viram, pois segundo o que já se foi denunciado pela reportagem sobre o kit publicada dia 22 de maio de 2011 pelo “Domingo Espetacular” da Rede Record e complementado por Julio Severo que diz:

"O ativista gay Beto de Jesus, membro da ABGLT (a maior organização gay do Brasil e responsável pela elaboração do kit gay para distribuição nas escolas públicas), confessa nesta reportagem que o governo deu um milhão e quinhentos mil reais, através de emenda parlamentar do Dep. Chico Alencar (PSOL-RJ), para produzir o kit gay e critica o ministro da Educação por estar demorando muito na distribuição do material gay nas escolas". 

Julio conclui: “É assim que, sob a cobertura e financiamento milionário do MEC, ativistas homossexuais prepararam um dos maiores materiais de doutrinação homossexual para as crianças de escola pública. Com o kit gay, vai ser fácil criança virar gay.

Tal reportagem tem causado furor em muitos pais e já faz parte do debate em rodas de amigos, família, bares, restaurantes, escolas, praças do Brasil inteiro. A maioria da população brasileira ao saber da pretensão do MEC discorda de tal kit.

O Portal Cristão News fez uma pesquisa e a maioria dos cidadãos entrevistados respondeu negativamente. É o caso da empresária de comunicação Roberta Cruz. Segundo Roberta que é casada e tem uma filha de 2 anos “não deveria existir tal coisa, porque existem pessoas que não aceitam.Esse kit seria para confundir a mente das pessoas, com certeza ele obriga as pessoas a aceitarem, mesmo não concordando e faria com que nossas crianças vivessem no mundo em contradição com a palavra de Deus.Seria muito injusto a pessoa conhecer a palavra, mas ter que aceitar tudo isso de forma natural, não concordo”.

Já o Turismólogo e agente de viagens Guilherme Bragança opina que “aquilo é uma falta de respeito. Não concordo com as práticas homossexuais e o estado não tem direito de interferir nos meus valores....o que parece é que há uma manipulação de pesquisas, porque  a grande maioria  de pessoas que conheço discorda dessa cartilha e é totalmente contra a PLC122”.

Perguntado por que as pessoas então não se manifestavam ele foi taxativo: “o problema é que as pessoas querem ser politicamente corretas. Aí são covardes na hora de expressar opinião”.

Tal opinião de Guilherme merece uma consideração de Renata Castro, Bacharel em Direito pelo fato de que também “muitas pessoas ficam acuadas em dar sua opinião com medo de serem processadas, chamadas de homofóbicas ou criminosas, é onde a liberdade de opinião passa a virar crime e por incutirem na TV, novelas, mídia, rádios etc que o PL 122 “já está valendo ou foi aprovado, ou vai ser aprovado e agindo os defensores do mesmo como tal” muitas têm medo de serem processadas e irem para a cadeia e pegar de 3 a 5 anos só por discorda do kit gay”.

Se formos procurar opinião a favor ou contra, veremos a grande maioria dos brasileiros discordando e não precisamos fazer pesquisas para comprovar este fato, isso é real, porém veremos pessoas dizendo:

Por que a reportagem da Record foi tendenciosa e não entrevistou nenhum que fosse a favor?

Ora, a Record na reportagem entrevistou - e isso podemos encontrar a partir dos nove minutos e vinte segundos do vídeo – um que tinha mais do que motivo de ser a favor e representar aqui os que são, pois Ricardo Bernardini é homossexual assumido e disse que o kit gay “pode produzir o efeito contrário ao pretendido pelo MEC, incentivando o “bullying”, muitas crianças podem ser motivo de piadas e esse assunto tem que ser conversado em casa com os pais”.


Kais Musa, empresário, também concorda com Ricardo, pois segundo Kais “sou contra o kit gay porque o preconceito não está na cabeça das crianças e sim nos adultos. Elas apenas refletem o que vivenciam. Então, a campanha tem que ser direcionado aos adultos, deixando as crianças de fora.

Já a Presidente da Associação Brasileira de Psicopedagogia na reportagem do "Domingo Espetacular"dá um fight: “Será que não estaríamos ai fazendo uma apologia a uma sexualidade precoce qualquer que seja ela? A família decide algumas questões básicas de valores como à religião e sexualidade, para ela isso é fundamental. O que vemos reflete como esta sendo vista a educação em nosso país”.

Gostamos da resposta da presidenta da Associação e perguntamos como você responderia?O que vemos reflete como esta sendo vista a educação em nosso país?

André Lázaro ex Secretário de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade do MEC poderia responder: no momento não posso responder, pois estou preocupado com a profundidade da língua em um beijo lésbico?


Fernando Haddad (Ministro do Ministério da Educação e Cultura MEC) poderia dizer: o MEC não responde diretamente pelo Kit gay que será distribuído nas escolas, o material seria ainda submetido a avaliações; até uma comissão chegou a ser criada?


Ou ficamos com a coragem do único que assumiu até agora essa polêmica toda, Beto de Jesus, que respondeu: "O Ministro amarelô?"



Da Redação Portal Cristão News
Paulo César Cândido


Com informações do Blog Julio Severo

Nenhum comentário: