Translate

O que procura?

Adwords 1

Últimas Notícias

quinta-feira, 23 de maio de 2019

Abílio Santana se pronuncia sobre sua votação do COAF

"Um monte de gente que não sabe o que está falando, um monte de piolhos que vai pela cabeça dos outros, dispara Abílio."


Pastor Deputado Abílio Santana e Presidente Jair Bolsonaro
(Reprodução - Assessoria do Deputado)

Depois da polêmica envolvendo o pastor e deputado Abílio Santana - PL Bahia , que foi o primeiro da lista divulgada sobre os deputados que votaram para tirar o COAF da pasta da Justiça de Sergio Moro e após grande repercussão negativa a respeito de sua votação, principalmente por alguns "líderes" evangélicos , onde muitos o chamam de "traidor da pátria", "contra o Governo Bolsonaro"," Lobo em pele de Cordeiro" etc. o deputado resolveu se pronunciar nas redes sociais. O Portal Cristão News, como um agente de divulgação democrático, entrou em contato com a assessoria do deputado e pastor na Bahia, que nos enviou o vídeo abaixo e uma nota do deputado Abílio Santana que diz: "O COAF é o Conselho de Controle de Atividades Financeiras, que tem como missão produzir inteligência financeira e promover a proteção dos setores econômicos, logo, é natural que seja vinculado ao Ministério da Economia. O COAF sempre foi do Ministério da Economia. Ele continua um órgão independente. O ministro Moro vai continuar fazendo seu trabalho anticorrupção e conta com meu apoio, como por exemplo, o pacote anticrime que concordo e estou na luta para ser aprovado no Congresso. Votei junto com o relator Fernando Bezerra, junto com o meu partido e com minha consciência. Sou bolsonarista e apoio às medidas do nosso presidente." Segundo Abílio Santana, "votamos a MP 807 e sou bolsonarista e tenho a foto do meu presidente no meu gabinete."
Ainda, segundo Abílio, "eu votei para que o COAF voltasse ao Ministério da Economia, pois era lá que estava, eu não votei contra o meu Presidente (se referindo à Bolsonaro) eu não votei para que saísse das mãos do Ministro Sérgio Moro, muito pelo contrário, eu votei a favor do projeto do meu Presidente e para quem não sabe, o relator deste projeto é o Senador Fernando Bezerra e o Senador Fernando Bezerra é líder do Governo no Senado, então, eu votei a favor do líder do Governo no Senado." Sobre os que são contra a sua votação e espalharam a notícia denegrindo, ou criticando a sua postura o mesmo dispara: "agora um monte de gente que não sabe o que está falando, um monte de piolhos que vai pela cabeça dos outros...eu votei pelo meu partido também, mas antes de tudo votei pela minha consciência, sou bolsonarista sim, finaliza Abílio.

Da Redação Portal Cristão News

Paulo César Cândido

VEJA O VÍDEO COMPLETO ABAIXO:


quarta-feira, 22 de maio de 2019

CCJ do Senado aprova crime de homofobia.

Decisão absurda vai gerar a condenação de pastores e religiosos. 


CCJ - Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania.
(Foto: Geraldo Magela/Agência Senado)

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou, na tarde de hoje, o Projeto de Lei nº 672/2019, criando o crime de homofobia. Na verdade, foi inserido o delito de discriminação dirigida contra “orientação sexual ou identidade de gênero”, abrangendo também a transfobia.

terça-feira, 6 de novembro de 2018

Camarões: 79 crianças sequestradas em uma escola cristã (veja vídeo)

Pedimos oração e intercessão de todos os cristãos brasileiros e de outros países para a notícia publicada no site Vatican News e vídeo publicado pelo Canal no Youtube EFE BRASIL.

Um grupo armado separatista sequestrou 79 estudantes em uma escola cristã no noroeste de Camarões, região de língua inglesa. Nos últimos meses aumentaram as agressões por parte de grupos armados anglófonos contrários ao governo central francófono de Yaoundé, que acusam de discriminação.




Cidade do Vaticano
Entre as pessoas sequestradas na escola cristã presbiteriana no vilarejo de Nkwen, nas proximidades de Bamenda, estão o diretor, um motorista e outros funcionários. A escola funciona como internato misto para crianças de 10 a 14 anos. Os sequestradores não pedem resgate, mas o fechamento da escola, segundo informações do reverendo Samuel Fonki Forba, chefe da Igreja presbiteriana de Camarões. Este ataque recorda o sequestro de centenas de meninas nigerianas por parte dos jihadistas de Boko Haram porém, neste caso os motivos não são de caráter religioso.
A ação faz parte de agressões de grupos separatistas armados desta região anglófona contra o governo central francófono de Yaoundé, que acusam de discriminação. Eles alegam que, como minoria de língua inglesa, são marginalizados pelo governo central francófono.

O sequestro em um vídeo postado nas redes sociais

Os guerrilheiros postaram um vídeo do sequestro dos jovens nas redes sociais, eles se definem “Amba-boys” referindo-se ao Estado de Ambazonia que os separatistas querem constituir nas regiões anglófonas do nordeste e no sudoeste do país. No vídeo, vários jovens sequestrados são obrigados e dizer seus nomes e o de seus pais. Um dos milicianos, dirigindo-se aos reféns, afirma: “Vocês serão libertados quando terminar a nossa luta".

O conflito em Camarões entre francófonos e anglófonos

As duas regiões anglófonas de Camarões, são desestabilizadas por grupos separatistas armados que pretendem proclamar um Estado independente, restaurando assim a “dignidade” de uma minoria que se considera marginalizada pelo governo central.
Camarões, ex-colônia francesa da África ocidental, desde 2016 tem sido palco de vários episódios de violência, quando as duas principais regiões de língua inglesa anunciaram que desejam a separação do resto do país, para formar uma nova nação. Os habitantes de língua inglesa, lamentam que são tratados com discriminação e que recebem menos fundos do governo com relação aos cidadãos francófonos.

O Presidente Biya condenou todas as violências

Os separatistas acusam o governo do presidente Paul Biya, no poder desde 1982, de ataques militares não apenas contra os guerrilheiros, mas também contra os civis. Por outro lado, são acusados de agressões e ataques nos quais morreram membros das forças armadas. Biya, que tem 85 anos e foi reeleito pela sétima vez em setembro deste ano, condenou os “atos de violência” de ambas as partes. 

VEJA VÍDEO




Fonte do Vídeo e da Notícia: EFE BRASIL  VATICAN NEWS