Translate

O que procura?

Adwords 1

Últimas Notícias

terça-feira, 5 de abril de 2011

DEPUTADO BOLSONARO DENUNCIA ATIVISMO HOMOSSEXUAL INCRUSTADO NO MEC E OUTROS MINISTÉRIOS E CAUSA XILIQUE EM GAYS E ATÉ OAB: Bolsonaro diz que MEC "abre as portas" para o homossexualismo e pedofilia

O deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ) disse nesta quinta-feira (31) que o Ministério da Educação (MEC) estimula a homossexualidade e “abre as portas” para pedofilia nas escolas com a distribuição dos kits anti-homofobia nas instituições de ensino fundamental e médio. A afirmação foi feita em entrevista à rádio Eldorado-ESPN de São Paulo. 

(Foto: Bolsonaro de louco e bobo não tem nada e causa furor porque atualmente ninguém pode dizer nada contra quaisquer coisas e pessoas assumidas ou ligadas à agenda gay. O rolo compressor tem aliados gratuitos - como nesta notícia - na mídia e até na OAB, entidade que pouco se move efetivamente contra programas pornográficos no horário nobre na TV, como novelas e BBBs inúteis. Mas como defender a causa do homossexualismo dá Ibope, todos estão a crucificar o desbocado deputado. Se é necessário processar Bolsonaro, também deve-se fazer o mesmo com a programação destruidora da família. Sò assim toda essa tempestade em copo d´água terá alguma razão de ser)

“Atenção, pais: os seus filhos vão receber um kit que diz que é pra combater a homofobia, mas na verdade estimula o homossexualismo”, disse. “Com a mentira de combater a homofobia, eles [o MEC] estão estimulando o homossexualismo e abrindo as portas para a pedofilia”, disse o parlamentar.

Os kits, que serão distribuídos em breve, são formados por cartilhas, vídeos, cartazes, entre outros materiais, e visam combater o preconceito contra crianças e adolescentes gays. O MEC não quis se manifestar a respeito das declarações de Bolsonaro.

Indagado por um dos entrevistadores, que questionou o porquê de o parlamentar tratar a homossexualidade como doença, Bolsonaro respondeu que não admite que se faça “apologia ao homossexualismo”. “[Homossexualidade] para mim é grave. Eu não admito fazer apologia ao homossexualismo, idolatrar o homossexual, deixar que o homossexual entre na escola”, afirmou.

Na sequência, questionado como reagiria se tivesse um filho homossexual, o parlamentar voltou a dizer o que já havia afirmado no programa CQC, na última segunda-feira (28). “Eu eduquei meu filho. Não corro esse risco.”

Na entrevista, sobrou até para Alexandre Mortágua, 16 --filho do jogador Edmundo com a ex-modelo Cristina Mortágua--, que recentemente assumiu ser gay. Na avaliação do deputado, a opção sexual do garoto foi determinada pelo ambiente em que ele cresceu. “Ele mesmo falou que para ele foi tudo muito fácil porque, desde criança, todas as amizades da mãe dele eram gays e só conversavam sobre homem, e ele disse que participava dessas conversas e acabou experimentando’”, afirmou.

O parlamentar aproveitou a data de hoje --31 de março, dia do golpe de 1964-- para “saudar os militares” pelo serviço que prestaram ao país, ao implantarem a ditadura. “Hoje é 31 de março. Me permita saudar os militares. Junto com a imprensa, Igreja Católica, trabalhadores, mulheres na rua, fizeram com que nós não estivéssemos hoje cortando cana, a exemplo do pessoal de Cuba.”

Bolsonaro afirmou ainda que “não está preocupado em perder o mandato” pelas declarações ofensivas. “Eu tenho imunidade para falar ou para roubar”, disse.



Fonte: Brasil da corrupção, Uol
Divulgação: Portal Cristão News

Nenhum comentário: