Translate

O que procura?

Adwords 1

Últimas Notícias

sábado, 7 de maio de 2011

O grito do inocente parte 2

Agora mesmo vi uma matéria no Jornal OPOVO ON-LINE onde diz que: “Bancada evangélica quer impedir obrigatoriedade de casamento gay em igreja”. Segundo o jornal, “o deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ), que é homossexual assumido, afirma que a proposta visa desviar o foco da discussão sobre os direitos civis, diz ele: "Isso é desespero para confundir a opinião publica, para jogar união publica contra o direito civil. O direito é publico, a fé é privada. Nenhum homossexual quer casar em igreja".

Continuo: há meu Deus....tão coitadinho o deputado Jean Wyllys, tão inocente o “bichim”, digno de peninha, ó coitado...então os Evangélicos “ querem jogar a opinião publica contra o direito civil?Meu Deus tão inocente??E vocês deputado?Que na ânsia, na fome, no desejo insaciável de aprovar o PL 122 desviam constantemente, na cara de pau, o debate, o foco do PL 122 para o lado religioso, fazendo que os evangélicos e católicos e qualquer um que discorde do movimento, gay de algozes, de criminosos, de “homofóbicos” ?

A questão aqui não é preconceito e muito menos "homofobia" como eles sempre querem fazer a população crer, acusando até os que se opõem a estarem no "armário", pois é sua cara, dizer que quem discorda é no mínimo um "viado enrustido", eu mesmo já passei por essas acusações. Todos sabem que PL é ditatorial e inconstitucional e que estava arquivado pela rejeição de grande parte da sociedade que se manifesta contra, porém Marta Suplicy, sua aliada, desarquivou com a assinatura de 27 deputados que não se identificaram, pois eles sabem dariam um tiro no próprio pé, pois a população rejeita o PL 122 assim como a grande maioria rejeita essa decisão do STF sobre União Gay.Sabendo que o PL 122 tem grande rejeição, especula-se que eles não se identificaram, pois não querem perder votos.

O Deputado diz que somos agora “desviadores” do foco da discussão do direito civil e vocês o que são? Pelo que sei, vocês sim, defensores da agenda gay com ajuda de boa parte da mídia, são peritos em desviar o foco do PL 122 para a Igreja, para a religião, não minto, todos sabem disso, como não acham brechas para aprovar o PL 122 juridicamente, culpam e desviam o foco para os evangélicos e católicos e todos aqueles que têm um pingo de consciência e sentido de justiça e conhecimento do projeto, aliado a religiosidade ou não, por ele não ser aprovado.

Aliás, não só o deputado, mas os movimentos gays e seus apoiadores estatais, sabendo que o Senado, como representante do povo, discordando de tal projeto, o que os impede de usar, da mesma forma que fizeram com o PL 122, o STJ para aprová-lo?Ou aprovar qualquer projeto se assim o desejarem?Na realidade, como já disse muitos juristas, jornalistas e formadores de opinião neste país inteiro e o próprio ministro Gilmar Mendes: “Será sempre assim? Toda vez que o Supremo acreditar que o Parlamento falhou ou que está pautado por inarredável conservadorismo vai lá e resolve o problema? Que outras falhas as excelências julgam que o Congresso está cometendo? Em que outros casos pretendem legislar?

Segundo o real e lógico raciocínio do Ministro, quem poderá me impedir, ou nos impedir de pensar que os defensores da agenda gay não entrem com uma ação do STJ para aprovar o PL 122?Depois desta decisão que segundo Jornalista Reinaldo Azevedo resumiu com uma célebre e engenhosa palavra: SE, NA DEMOCRACIA, NENHUM PODER É SOBERANO, ENTÃO, ONTEM, O SUPREMO FOI SOBERANO E FRAUDOU A DEMOCRACIA.

Quem poderá nos impedir de pensar que os defensores da DITADURA NA MÍDIA não intentarão usar um processo para calar a liberdade de expressão dos rádios, jornais e TVs?Aliás sobre esses, eu “acho é bom”, assim eles provarão do castigo de tanto terem “comido” da refeição estatal (que investem bilhões em seus cofres), massificando a propaganda pró-homossexualismo em seus editoriais, jornais e novelas, comerão em cadeias, mas com uma mordaça na boca!Eu dou é risadas!

Paulo César Cândido

Da redação: Portal Cristão News

Nenhum comentário: